“Esquadrão dos Anjos” explica transplante de medula óssea para crianças

7 de março de 2019

Livro infantil escrito por pesquisador do LIM 31 ajuda pais e filhos a enfrentar tratamento de doenças como leucemia e linfomas com mais leveza

Como explicar o transplante de medula óssea para uma criança que está prestes a passar pelo procedimento? Foi essa a pergunta que a jornalista e escritora Nalu Saad fez ao médico hematologista Vanderson Rocha quando estava produzindo uma reportagem sobre o assunto. A pergunta também tinha um viés pessoal, já que o filho de um amigo de Nalu, na época com seis anos, estava prestes a fazer o transplante.

A resposta de Vanderson virou uma história na cabeça de Nalu e ganhou forma de livro, assinado pelos dois. “Esquadrão dos Anjos”, que foi lançado em fevereiro, em São Paulo, é o primeiro livro infantil a tratar do tema.

Maria Flor e Pedro Jardim são os personagens que contam essa história (Foto de Divulgação)

“Eu respondi que costumo dizer para as crianças que o transplante é uma batalha de anjos”, conta Vanderson Rocha, professor Titular de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e pesquisador do LIM 31 (Laboratório de Genética e Hematologia Molecular). É como coordenador médico da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Sírio-Libanês que ele tem mais contato com crianças transplantadas.

No livro, quem conta a história são os personagens Maria Flor e Pedro Jardim, duas crianças que estão à espera do transplante de medula. Uma turma muito amorosa, que inclui o esquadrão de anjos, ajuda os dois amigos a enfrentar o tratamento com leveza e bom humor.

A jornalista Nalu Saad e o médico hematologista Vanderson Rocha (Foto Maria Teresa Leal)

Os autores contaram, ainda, com a ajuda de outros profissionais que também lidam com transplantados, como psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas. E escutaram algumas crianças que fizeram transplantes. O prefácio é do ator Reynaldo Gianecchini, que também passou pelo procedimento médico quando teve um linfoma. E as ilustrações são de Iara Rachid.

Mais que ajudar a comunicar um tema difícil para crianças, o livro ainda contribui para reforçar a importância da doação de medula. Existe, hoje, no Brasil, cerca de cinco milhões de doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), criado em 1993. No entanto, o índice de compatibilidade no país é de uma a cada 50 mil pessoas, daí a necessidade de ampliar o número de doadores.

O livro também será lançado na capital mineira no dia 17 de março, no CCBB-BH, durante evento de comemoração dos 40 anos do primeiro transplante de medula óssea feito no Brasil, em Curitiba.

“Esquadrão dos Anjos” está à venda no site da editora:

https://www.paginaseditora.com.br/product-page/esquadr%C3%A3o-dos-anjos

Débora Rubin | Comunicação LIMs

 


Desenvolvido e mantido pela Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP